0
PÁGINA INICIAL / ELO / Segurança nos galpões avícolas contribui para resultados positivos

Segurança nos galpões avícolas contribui para resultados positivos

avicultura gsi Agromarau

Sistemas de proteção para a ave e o operador fazem parte da avicultura moderna

 

A avicultura se tornou uma atividade de grande importância no agronegócio, sendo responsável por boa parte das exportações brasileiras. Para chegar nesse nível de evolução, houve muito investimento em tecnologia, estrutura, sanidade animal e segurança.

A preservação do lote deve estar no foco das ações do produtor. Para atingir esse objetivo, ele precisa atender requisitos que irão garantir a vida útil de sua operação. Isso passa por questões de segurança e capacitação do trabalhador, normas de bem-estar e sanidade animal, com indispensável atenção para a manutenção preventiva de seus equipamentos.

Ricardo Marozzin, gerente de Marketing e Serviços ao Cliente da GSI, reforça que a segurança na operação dos galpões avícolas impacta positivamente nos resultados do negócio. “Na avicultura moderna, observamos que as falhas e colapsos que levam à mortandade das aves ocorrem na maioria das vezes não pela qualidade da infraestrutura e tecnologia implantada, mas pela negligência em realizar as manutenções necessárias ou pela falta de qualificação da mão de obra para operar os equipamentos”, afirma.

Ele avalia ainda que, mais importante que a preocupação com a integridade do plantel avícola, é a segurança do granjeiro. Por isso a NR 12, norma regulamentadora para segurança no trabalho com máquinas e equipamentos, é fundamental e mandatória no contexto do negócio. “O usuário está começando a entender a importância da norma que, com sua correta aplicação, garante a segurança no trabalho, e a indústria está preparada para fazer frente e atender o que a norma exige”.

A NR 12 é bem-vinda e necessária, e está levando ao desenvolvimento de novos projetos com nível de robustez e proteção maior, o que, no final das contas, só traz benefício para o produtor. Marozzin alerta que, mesmo com essas melhorias promovidas com a aplicação da norma, se as instalações e equipamentos não forem bem cuidados ao longo de sua vida útil, o resultado será afetado de forma negativa.

O nível tecnológico aplicado às granjas está cada vez mais alto. Além da indústria estar adequando os equipamentos para que garantam cada vez mais a segurança do operador, é fundamental que o produtor ou o seu funcionário estejam habilitados para operar o sistema. Treinamentos oferecidos pelo próprio fabricante e as entregas técnicas dos projetos, organizadas para testar e já orientar o manejo e manutenção dos equipamentos, são fundamentais para mitigar perdas.

Paulo Verdi, supervisor de Pós-venda Proteína Animal, atesta ainda a importância da realização de manutenções, especialmente as preventivas. “A manutenção corretiva tem um custo alto e traz perdas na produtividade, enquanto que a preventiva aumenta a vida útil dos equipamentos e melhora a qualidade dos resultados”, reforça Verdi. Apesar da preventiva ser a melhor opção, o mercado, na sua maior parte, ainda faz uso da manutenção corretiva. Nos galpões com maior tecnologia embarcada, essa postura representa riscos enormes para o plantel e o operador.

O especialista ressalta ainda a necessidade de atenção para que os itens do projeto do aviário sempre contem com dispositivos de segurança – sirenes, desarme de cortina, termostato de segurança, geradores, entre outros. “Esses dispositivos são responsáveis por atuar ou avisar quando houver qualquer tipo de falha, seja por fatores externos, do equipamento ou da operação. “Especialmente, esses dispositivos precisam de manutenções periódicas. O indicado é fazer uma revisão a cada intervalo de lote”, recomenda Verdi.

Vale ressaltar que todo o investimento feito com o intuito de gerar mais segurança à operação vai refletir nos resultados, diminuindo os riscos de paradas inesperadas e potencializando a produção.

 

O que é importante verificar

Depois de a instalação ser feita por profissional habilitado, deve-se seguir uma periodicidade indicada para realização da manutenção, evitando que o equipamento seja danificado ou sofra desgaste excessivo.

Destacamos um check list básico para cuidar bem da sua instalação, principalmente daqueles equipamentos que podem causar mortandade de aves. Alguns itens, podem ser monitorados a cada intervalo de lote, outros devem ser feitos a cada 15 dias, como a limpeza das persianas. Esse tipo de informação consta no manual do fabricante.

 

Cuidados frequentes

- Exaustores: limpar os perfis e grades de proteção; lubrificar os mancais/rolamentos; verificar o tensionamento das correias.

- Cooling: checar vazamentos; limpar placas evaporativas, filtro, tubulação e calha; manter a água livre de sujeiras; manter o filtro limpo. Parte destas recomendações também valem para o bebedouro nipple e sistema de nebulização.

- Painéis elétricos e sistemas de segurança: além da data de validade das baterias, verificar periodicamente sua carga, início de corrosão nos bornes; verificar os potenciômetros; nos desarmes, checar a oxidação nas células magnéticas e se os gatilhos estão operantes.

- Sirenes: realizar testes periódicos de acionamento e nunca desabilitar sua função.

 

Compartilhe:


Cadastre o seu e-mail e receba
novidades e informativos